Crie expectativas SIM – e aprenda a lidar com a frustração

Volta e meia fica popular no Facebook uma frase que pode vir acompanhada de uma foto do horizonte ou de uma estrela de Hollywood (não entendo nenhum dos dois símbolos atrelados, mas ok): basicamente a mensagem diz pra criar cachorro, filho, peixe, mas nunca NUNCA expectativas.

Eu fico muito intrigada com essas coisas.

Porque só consigo pensar que esse eterno movimento de construir blindagem impermeável, além de inútil, é injusto consigo e com os outros, além de fazer a gente perder um aspecto emocionante da vida. Que saco atravessar os dias sem esperar nada, ansiar por nada, emocionar-se com nada…

Organizando a ordem do pensamento, a primeira coisa que eu percebo é que há uma confusão entre criar expectativas (o que seria saudável) e depositar no outro a responsabilidade de corresponder a algo. A linha é muito tênue e precisa de atenção constante: é salutar, humano e faz parte das relações, por exemplo, esperar que o outro corresponda ao comportamento de honestidade em uma amizade.

Não ter essa expectativa confunde-se com outra coisa: o descaso.

O não se importar por não fazer diferença.

Isso é bom pra quem?

Então, a partir desse exemplo, chego no segundo ponto, um prejuízo que é, exatamente, não posicionar-se para o outro em caso de uma expectativa frustrada e, com isso, tirar dele a oportunidade de olhar para si mesmo e melhorar, evoluir, encontrar-se mais consciente de seu próprio comportamento em relação ao mundo.

Como terceiro e último ponto de atenção, vejo outra perda de oportunidade, que é o aprender a lidar com a frustração, algo muito valioso no fortalecimento de nossa inteligência emocional. Quantas pessoas você conhece que reagem de maneira agressiva, se fecham, ou passam a nutrir pensamentos de vingança quando não conseguem algo?

Reagir com melhor inteligência emocional às situações adversas da vida também tem a ver com – acreditem – treino. Passar pelo dissabor de não ter uma expectativa atendida pode te levar a um excelente exercício de auto-conhecimento:

1.      Minha expectativa estava ajustada à situação/pessoa?

2.      Em que momento eu percebi, pela primeira vez, que as coisas tinham se desviado do que imaginei acontecer?

3.      Que emoções essa frustração desperta em mim?

4.      Que sombras estão relacionadas a essa frustração?

Tem um outro meme do Facebook que diz que cada pessoa é uma lição ou um presente.

Só que, pra mim, tanto faz: toda lição é também um presente, afinal.

Crie expectativas. Você só tem a ganhar 🙂

Ana Gomes é Head de RH para a América do Sul na Solera e sustenta iniciativas de diálogo com líderes e mulheres de uma forma geral. Mais em http://www.antigonna.com.br

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s